Coffee office; uma nova forma de trabalhar remoto - Por Laura Gluer

No nosso último texto, falamos sobre o café como pausa no home office. Neste texto, abordaremos a possibilidade do Coffee Office, ou seja, a cafeteria como uma extensão do home office.


Com a flexibilização gradual de vários setores econômicos em todo o país, profissionais de diferentes áreas passaram a questionar a necessidade de ter um ponto comercial fixo para exercer suas atividades. Grandes empresas também optaram por seguir com suas equipes em home office de forma definitiva, pois perceberam que é possível manter a produtividade nesta modalidade.


Pesquisa conjunta realizada pela USP (Universidade de São Paulo) indica que 70% dos executivos brasileiros estão motivados a continuar trabalhando em suas residências, mesmo depois do término do período de isolamento compulsório. De acordo com a pesquisa, na percepção de 71% dos executivos, o desempenho em casa está igual ou superior ao do escritório.


Neste contexto, as cafeterias, com suas mesas, tomadas para acoplar carregadores e wi-fi, podem virar uma extensão do home office. Algumas delas têm salas exclusivas para reuniões, garantindo privacidade em reuniões mais estratégicas. E, claro, com a vantagem de trazer um espresso ou cappucino para acompanhar as tarefas, sempre que o cliente desejar. Aliás, vale lembrar que é recomendável consumir os produtos da cafeteria durante sua permanência no local, para gerar retorno financeiro e viabilizar estes negócios.  


Trabalhar em Coffee Office, sem ter a pressão do ambiente empresarial, pode ser libertador em muitos aspectos. Mas exige responsabilidade e disciplina. Rotina, horários, intervalos. Agendar uma reunião em uma cafeteria pode ajudar a demarcar estes momentos, evitando o risco das interrupções domésticas e a tentação de ficar o dia todo de pijama. Para ir à cafeteria, você precisará se arrumar, mesmo que seja de forma casual, e isso aos poucos vai trazendo uma sensação de normalidade retomando.





Além disso, o Coffee Office também é interessante para suprir nossa necessidade de socialização nos tempos estranhos em que vivemos. Nas cafeterias, interagimos com outras pessoas, sentimos acolhimento, calor humano. Nas cafeterias, nos conectamos com uma realidade da qual estávamos afastados.


Um novo normal se impõe e vai demorar alguns meses, talvez até mais tempo do que isso, para voltarmos à rotina da antes. E talvez a velha rotina nunca mais volte.


Mas as cafeterias ainda estarão lá para nos fazer lembrar que sempre há um espaço para uma reunião de negócios ou para discutir um projeto enquanto se degusta um espresso. 


Laura Glüer é jornalista e publisher do Café Combustível

39 visualizações