Movida a café e deadline - Por Laura Gluer

Muitos profissionais são motivados pelo chamado deadline. A expressão significa o prazo máximo para execução de uma tarefa. É uma palavra que assusta, mas também impulsiona. Principalmente se o prazo está chegando perto do fim ou se ouvimos aquele lembrete fatídico que é “pra ontem”.

O deadline é uma expressão muito usada na área da comunicação, mas também se estende a outras áreas de atuação. Sem um deadline, a tarefa fica solta, sem prazo definido. O deadline ajuda a estabelecer cronograma, fluxos de trabalho, orienta a execução da tarefa. Com ele, é possível alinhar as demandas e dimensionar melhor o tempo para cada atender cada uma delas. As tarefas que têm deadline mais curto precisam ser priorizadas, as demais podem ser deixadas para depois (sem procrastinar, é claro).

Com isso, queremos dizer que o deadline cumpre sua função, e pode ser educativo e saudável. Ele só será enlouquecedor para quem não tiver organização e disciplina, hábitos que precisam ser cultivados nestes tempos em que vivemos.

E o café onde entra na história? O deadline acompanhado de uma xícara de café é mais fácil de cumprir. O café faz a gente pensar que é possível atender o prazo, mesmo que ele pareça curto demais. Aliás, como muitos coffee lovers dizem, o café torna tudo possível.



Então na próxima vez que seu prazo estiver apertado e o deadline aparecer na sua frente como uma assombração, pare, respire, organize as ideias e tome um café. Bem, talvez você precise tomar vários cafés para cumprir o prazo. Mas verá que movidos a cafés e com deadlines, conseguimos superar todos os desafios da vida. Basta querer e fazer acontecer. 

Laura Gluer é jornalista e publisher do Café Combustível

8 visualizações